terça-feira, 5 de abril de 2011

do começo de 2009 um remaque sem titulo.

Simples transparência iluminada pela noite enluarada na

Calma madrugada que reclina aos meus pecados, desentendimentos, sorrisos e pensar

E os versos deslocados, mal feitos e aos pedaços, vão se perdendo um a um dentre a neblina que sussurra em teu coração.

Na minha mente vai se criando um imaginário sem palavras, um imaginário sem sentido, de pouco e deslocado deslumbramento, talvez seja um ser parecido, com idéias afinal e uma escrita delicada, mas talvez seja paixão, não sei.

A minha vida se resume ao medo, o medo de amar: este me persegue com seus dedos aguçados me cutucando o coração para q não pare de bater, porem com cutucos lentos para que não vibre ao te ver. Medo de ver: o qual cega minhas palavras, me tranca em meu mundo sorrindo tristemente um sorriso falso para os outros mundos no meu mundo não adentrem.

O medo da vida: mais temido este me impede de viver sempre impondo uma cautela, uma falta de verdade, meus olhos n mostram minha alma, mostram um poço profundo empoeirado porem salgado com lagrimas estas que não conheço, mas as desejo.

E o medo que comanda minha vida o medo de não ser amado: talvez a morte já esteja hoje me esperando com seu manto branco e com seus olhos vazios, quem sabe minha vida é fadada ao fracasso sem amor para receber, sem uma vida de verdade para viver, meus passos não os reconheço, minhas mãos não param de tremer, meus olhos não olham para onde quero e para onde olham não te vejo, e meu coração asim meu coração este nem sei bate como uma lâmpada apagada num dia de chuva, enquanto minha mente espera que ele pare, para ver a eternidade sorrindo tristemente quem sabe?

2 comentários:

leno oliveira disse...

exatamente como foi escrito na época com os erros e tudo mais.

Andressa disse...

''A minha vida se resume ao medo, o medo de amar: este me persegue com seus dedos aguçados me cutucando o coração para q não pare de bater, porem com cutucos lentos para que não vibre ao te ver.'' MUUITO BOM! :x